1º TEMA: APRESENTAÇÃO DE O F3

O F3 abrange diversos fatores desenvolvidos na Igreja Local. Sem dúvida, o fator central do Modelo de Discipulado Apostólico é o discipulado dois em Família que todos na igreja conhece através de passagens bíblicas  como  Atos 3 31 – 32 Eles responderam: “Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa”. E pregaram a palavra de Deus, a ele e a todos os de sua casa . Lucas 10:1 E depois disto designou o Senhor ainda outros setenta, e mandou-os adiante da sua face, de dois em dois, a todas as cidades e lugares aonde ele havia de ir. Este modelo (F3) fala da visão geral de como cremos que a Igreja Local deve funcionar.

1 – O REINO DE DEUS

Jesus disse: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu Reino…” (Mateus 6.33).

Deus está implantando o Seu Reino aqui na Terra e Ele tem deixado bem claro qual é a visão dEle para nós:

Deus havia dito para o homem: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra…”(Gênesis 1.28). Por quê? Porque Adão e Eva gozavam de perfeita comunhão com Deus e assim refletiam a glória de Deus perfeitamente. À medida que eles obedecessem a ordem de crescer e multiplicar, toda a terra ficaria cheia da glória de Deus, como as águas cobrem o mar.

O plano original de Deus nunca mudou. Mesmo que o homem natural, por causa do pecado, não reflita a glória de Deus, aquelas pessoas que já nasceram de novo verdadeiramente refletem a Sua glória. Então o propósito de Deus continua o mesmo: Ele quer o Seu Reino implantado sobre toda a Terra, e isto vai acontecer quando os Seus filhos colocarem o Seu Reino em primeiro lugar, crescerem e se multiplicarem até que toda a Terra esteja cheia de pessoas que reflitam a Sua Glória.

2 – A IGREJA DO SENHOR JESUS

Mas qual é o contexto em que nós devemos buscar o Reino de Deus? Na prática, como podemos fazer isso?

Jesus disse: “Eu edificarei a Minha Igreja…” (Mateus 16.18) e em outra ocasião Ele disse “quem comigo não ajunta, espalha…” (Mateus 12.30). Em outras palavras, o Reino de Deus aqui na Terra se manifesta e é centralizado na Igreja do Senhor Jesus.

A Igreja do Senhor Jesus é o coração do Reino de Deus.

3 – A IGREJA LOCAL

Posso saber, então, que verdadeiramente estou buscando o Reino de Deus se eu estiver trabalhando com Jesus na Edificação da Sua Igreja Mundial (mística). Mas, como a Igreja Mundial do Senhor Jesus é edificado? Através da Igreja Local.

Se eu não estiver edificando a Igreja Local eu não estou edificando como eu deveria a Igreja Mundial (mística) do Senhor Jesus. A Bíblia fala muito mais acerca da Igreja Local do que da Igreja Mundial (mística). Estamos trabalhando com Deus ou contra Deus? Talvez muitos não saibam disto, mas quem não está na visão da Igreja Local – ajudando a Igreja Local a crescer e multiplicar em quantidade e qualidade, está na realidade (mesmo que seja por omissão) trabalhando contra Deus. Isto é sério. Deus coloca máxima importância na Igreja Local porque a Igreja Local é o coração da Igreja do Senhor Jesus aqui na Terra.

O Apóstolo João, em Apocalipse 1.10-11, ouviu a voz do Senhor Jesus por trás dele. Mas quando virou para ver o Senhor Jesus, primeiramente ele viu sete candeeiros de ouro (Ap. 1.12), e só depois viu o Senhor Jesus (Ap. 1.13). Os sete candeeiros são as sete Igrejas Locais (Ap. 1.20). Creio que, simbolicamente, isto mostra que para termos plena revelação do Senhor Jesus, temos também que ter a visão da Igreja Local. Onde estava Jesus? “No meio dos sete candeeiros” (Ap. 1.13). No meio das Igrejas Locais. É impressionante a importância que Deus põe na Igreja Local.

4 – O F3

É muito importante que todos os cristãos da Igreja Local estejam congregando nos focos, onde a vida do Corpo se encontra de forma sintetizada em todos os seus muitos aspectos, tais como: adoração, intercessão, evangelismo, integração, discipulado, treinamento de líderes, comunhão, assistência social, etc.

É necessário que esse foco esteja sempre aberto para receber novas pessoas. Como o corpo humano, deve estar sempre crescendo, multiplicando e crescendo. Esse tipo de foco resgata o ide de dois em dois e a “Igreja no Lar”, e por isso cremos ser importante que todos congreguem em um foco deste tipo, pois acreditamos que foi assim que aconteceu na igreja neotestamentária. Para nós, o foco é o Coração da Igreja Local.

Todos os nossos focos, heterogêneas e homogêneas, têm essas características, e todos os membros estão em um desses dois tipos de foco. É para a totalidade de nossos focos crescerem e se multiplicam em três áreas:

1) Verticalmente: os membros crescem em intimidade com Deus e multiplicam isso nas vidas dos seus discípulos.

2) Horizontalmente: os membros crescem em comunhão uns com os outros e multiplicam isso nas vidas dos seus discípulos.

3) Exteriormente: Os membros crescem em entendimento e numericamente ganhando novas pessoas para Jesus, essas pessoas e multiplicam nos F3s evangelizando, famílias e indivíduos. O F3 cresce em número de membros e se multiplica, gerando assim novos F3s.

É este tipo de ideia estar no coração da Igreja Local, tudo acontece por ela, para ela  através dela  e em função dela.

Podemos perceber que o coração do Reino de Deus é a Igreja (mística) do Senhor Jesus; o coração da Igreja (mística)  é a Igreja Local; e o coração da Igreja Local é a família e o F3 deve estar no coração da família. Você pode perceber, então, que todo esforço cristão para implantar o Reino de Deus na terra deve resultar em priorizar, direta ou indiretamente a edificação da família  no contexto da Igreja Local através do F3. Agora, qual é o coração do F3? Você!

5 – O DISCIPULADO UM A UM

Jesus priorizou o discipulado na Sua vida aqui na Terra. Antes de escolher os seus discípulos Ele orou a noite toda (Lucas 6.12-13), e uma grande parte do seu tempo foi ocupado investindo na vida destes discípulos. Como Ele viajava horas e horas a pé, é bem provável que, enquanto estava caminhando com os discípulos naquelas estradas construídas pelo Império Romano, Ele aproveitasse bem o tempo discipulando. Quem já caminhou por muitas horas sabe que é difícil andar e falar com muitas pessoas ao mesmo tempo. Cremos que Jesus discipulava muito: 1) um a um; e 2) em grupo.

Em nossa própria experiência, temos visto que é muito bom discipular em grupos, mas nunca em substituição ao discipulado um a um. Sem dúvida, isto possibilita que o discipulado seja mais profundo, intenso, e específico.

É claro que, para haver esse tipo de discipulado os três (discípulo e discipuladores) devem ser do mesmo sexo. Também, alguém não pode estar discipulando outra pessoa se ele primeiramente não tiver discipulador. O discipulador tem compromisso total de não falar nada para pessoa alguma daquilo que o discípulo confidenciou, a não ser que obtenha primeiramente sua permissão ou seja obrigado pela justiça.

Este discipulado deve acontecer no contexto do foco, ou seja, o discipulador deve participar do mesmo foco do discípulo. O discipulado nunca deve ser manipulativo. O verdadeiro discipulado é para ajudar o discípulo a crescer.

Discipulado é proteção. Discipulado é crescimento. Seja transparente com o seu discipulador. Você ficará maravilhado como Deus vai usar seu discipulador para ajudá-lo a vencer o pecado, crescer espiritualmente, ser um ganhador de almas, e ser também um bom discipulador. “Confessai os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros para serdes curados” (Tiago 5.16).

Uma vez que você está sendo discipulado, é importante começar a orar e pedir a Deus que lhe mostre quem você deverá discipular. Quando você ganha alguém para Jesus, você tem que garantir que aquela pessoa seja bem discipulada. Normalmente é você quem deve discipular aquele novo convertido.

Jesus, antes de ascender aos céus, nos deixou a Grande Comissão: “Ide, portanto, fazei discípulos…” (Mt. 28.19). Isto tem que ser priorizado, pois sem dúvida é um assunto de máxima importância. Na medida em que meditávamos na centralidade do discipulado, Deus nos revelou que o discipulado dois a um é o coração do focoA esse relacionamento dos discipuladores com seu discípulo (total de três pessoas) chamamos de um microfoco. Como a ênfase central da Visão do Modelo do Discipulado Apostólico é o discipulado dois a um.

Então, como proposta da Igreja Local temos:

F3 – Foco Família Florescer – Regras

1-   Estar sob a cobertura de um líder

2-   Estudar  toda a proposta F3 estudo a estudo sem saltar disciplinas

3-   Ser fiel a presença e horário marcado para estudos.

F3 –A  ( apresentação)

a-   Uma campanha de  oração de 07 semanas, uma vez  por semana

b-   07 estudos  aleatórios mas criado pela liderança geral do Ministério florescer ou segundo a necessidade de cada família ou pessoa.

F3 – B (bom discípulo)

a-   Oração de  Daniel  durante todo o Processo de Discipulado

b-   12 estudos  específicos  sobre como se tornar um bom discípulo  (12 semanas)

O Arrependimento

A Fé

Perdão e Justificação

Oração

Santificação

Ressurreição

Síntese escatológica

Crescimento espiritual

O Batismo em águas

A Ceia do Senhor

Dízimos e ofertas na Bíblia

Somos um corpo em cristo Jesus

Hora da decisão (ser um lide F3 ou simples membro da igreja .

F3 – C (Capacitação de líder)

c-   Oração de  Daniel  durante todo o Processo de capacitação

d-   12 estudos  específicos  capacitação de Líder F3   (12 semanas)

Apresentação do F3

Palavras de Exortação

A escalada do sucesso

12 características de um discípulo autêntico de Cristo:

12 mandamentos para um líder de F3

As 20 atitudes que um líder do F3  deve praticar

Como evangelizar  (ARTE DE GANHA ALMAS NO F3)

Como realizar uma campanha bem sucedida

Terminei a campanha  e agora?

Preparando o povo para uma nova campanha

Preparando o novo convertido para o Discipulado

O dia da festa.

F3 – D (Discipulador)

a-   Dia de festa

b-   Confraternização

c-   Treinamento

d-   Apresentação de novos líderes F3

e-   Apresentação de Novos F3

O discipulado, no microfoco, é feito dois a um. Você poderá notar então que o microfoco tem o total de Três  pessoas: Discipuladores e Discípulo. Cremos que o F3D é a menor representação da Igreja: o microfoco do Corpo de Cristo, “onde estiverem dois ou três reunidos em Meu nome…” (Mateus 18.20). É interessante notar que o contexto desta passagem se refere à Igreja Local.

O importante é que todos estejam debaixo da cobertura de um discipulador (supervisor), e que todos estejam fazendo discípulos, porque, como já foi enfatizado, o discipulado é o coração do foco. Em outras palavras: o F3D é o coração do foco e o foco o coração da família e a família o coração da igreja.

Na proposta do F3 cada cristão deve estar sendo e fazendo discípulos, participar de um foco, abraçar a ideia da Igreja Local, buscar a Unidade da Igreja como um todo e colocar em primeiro lugar o reino de Deus.

Responda Questionário F3

Tenha vitorias em Cristo.1